Este país chamado Nordeste

Este país chamado Nordeste

Stanley Nascimento

Stanley Nascimento

Consultor de Feiras de Beleza para a Região Sul e Sudoeste


 I       - Mercado da Indústria

 Já a algum tempo,  a região Nordeste vive uma fase de acelerado desenvolvimento, fruto de ações em todos os  segmentos da economia. Plagiando a retórica do pensador: “O Nordeste não é mais o patinho feio do Brasil !”

Os dados apontam que o Nordeste é o segundo maior consumidor de cosméticos do

país, com 19% do total, atrás apenas do Sudeste, responsável por 50% do consumo.

O Nordeste se fortalece como mercado consumidor em ascensão e vem despertando a atenção de empresas sediadas em outras regiões do país, como Sul e Sudoeste, que vislumbram oportunidades de bons negócios com as vendas de produtos para a região, bem como a instalação de unidades de produção e/ou distribuição para o abastecimento da região, e em alguns casos, de mercados internacionais.

Atualmente existem 356 empresas registradas em seus estados.


II       - O mercado de salões e clínicas de beleza.

Atualmente existem aproximadamente 500.000 salões de beleza formais no Brasil. Registre-se que 48% desses equipamentos são informais, o que significa que os números são ainda maiores.

Cerca de 7.000 salões formais são abertos por mês no Brasil. Se contabilizarmos os informais, esse valor é ainda maior. O crescimento do setor é muito superior ao do PIB e não se projeta saturação deste mercado no curto prazo.

Os números por si só ilustram a dimensão deste mercado. No Norte e Nordeste são

100.000 salões. Além disso o aumento de franquias de Beleza vem sendo cada vez maiores nos últimos anos, em toda a Região.

 
III   - Quantidade de profissionais do segmento da beleza por Estado

(números copilados em 2018)

 

  • Pernambuco = 782 profissionais;

- Bahia = 59.870;

- Paraíba = 19.869;

- Ceará = 23.456;

  • Rio Grande do Norte = 567;
  • Maranhão = 869;

- Piauí = 8.654;

  • Alagoas = 979;
  • Sergipe = 535

 IV      - O público masculino chegou forte

Os homens também entraram de vez no mercado da Beleza, engrossando os números do setor: o faturamento da categoria mais que duplicou nos últimos cinco anos e aumentou também o número de estabelecimentos em 78%, com a chegada de novos tipos de negócios, como as barbearias modernas.

V      - O mercado da beleza diante da crise do COVID-19

Como muitos setores, o de Beleza sofre o impacto da crise do Covid-19 em diferentes dimensões.

Para o segmento da Beleza a ameaça ao consumo de itens do setor em decorrência da Covid-19 é menor, porque os produtos de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos são essenciais para a promoção da autoestima, do bem-estar e, principalmente, para a manutenção da saúde física e emocional. Considera-se este o maior apelo de comunicação e de negócios das empresas do setor.

Com a crise do Covid-19, tanto a indústria da Beleza quanto os serviços terão que conviver com o impacto do vírus, cada uma com a sua realidade.

Mesmo em um cenário crítico, registre-se que esse é um mercado confiante e com grande capacidade de recuperação, devido ao seu histórico. Posto, mesmo na crise o consumo permanece, pela sensação de auto recompensa.

Diversas empresas estão conseguindo se reinventar de diversas formas para estar próximas de seus consumidores e apostando em ações que também podem contribuir no pós-crise.



VI     - O futuro do mercado da beleza: vendas online

O futuro do segmento da Beleza está ligado ao digital. Analistas estimam que o E- commerce cresce, no Brasil, cerca de 43% ao mês desde o início das medidas de distanciamento. Este percentual reflete ao mercado geral da economia, mas para o setor da Beleza não foi diferente.

Passar mais tempo em casa despertou nas pessoas independência e autonomia. Além do mais, o sentido do autocuidado é independente por natureza.

Aromas; essências; produtos naturais; banhos relaxantes; máscara facial se tornam aliados para enfrentar rotinas cheias de ansiedade e incertezas. São produtos que oferecem resultados de salão e que trazem benefícios para aliviar estados emocionais decorrentes da pandemia.

Também os equipamentos que otimizam a rotina de cuidados em casa, tais como: escovas de limpeza facial; massageadores; depiladores, entraram no rol de importância vital.

Configura-se assim, o conceito de beleza, de dentro para fora.

As pessoas não estão apenas trabalhando em casa online, mas também estão usando o mundo virtual para se conectarem com amigos e familiares, e querem aparecer bem durante as chamadas de vídeo.

Algumas mudanças de comportamento foram aceleradas pela pandemia, tais como: home office; ensino à distância; cozinhar em casa. Novos hábitos trazidos pela pandemia devem continuar em alta mesmo depois da crise.


Por:
Stanley Nascimento

Fones: (81) 9 9850-5053 (também ZAP)/(81) 9 9868-5053

E-Mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. Instagran: @nascimentostanley

 

Fontes de informações estatísticas:

 

  • ABIHPEC - Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosmética;
  • SEBRAE;
  • ASPROBELBA - Associação dos Profissionais de Beleza do Brasil;
  • Banco Central (boletim Focus);
  • Instituto FSB Pesquisa;
  • Euromonitor Internacional
Stanley Nascimento

Imprimir