Harmonização facial: cresce a procura por procedimentos estéticos não invasivos para rosto

Harmonização facial: cresce a procura por procedimentos estéticos não invasivos para rosto

Procedimento corrige imperfeições sem a necessidade de cirurgia plástica

O interesse pela harmonização facial tem crescido nos últimos anos. A ferramenta de buscas do Google registrou um aumento de 540% nas pesquisas sobre o assunto. “As pessoas estão se cuidando mais e todos os procedimentos da harmonização facial são não invasivos, ou seja, não há a necessidade de cirurgias e hospitais. Sem contar o resultado rápido, visível em poucos dias”, destaca a médica especialista em Dermatologia Flávia Villela.

A harmonização facial consiste em técnicas e procedimentos estéticos que buscam proporcionar melhor harmonia entre os elementos do rosto para deixá-lo mais simétrico.  Não há uma idade mínima para realizar o procedimento e pode ser feito em homens e mulheres. “Muitos fazem a harmonização para ter um rosto rejuvenescido ou corrigir pequenos defeitos, como uma distorção no contorno do rosto, lábios pequenos, nariz, marcas de expressão, entre outros”, explica a médica.

Segundo ela, o preenchimento labial é uma das técnicas mais utilizadas nos processos de harmonização. “As mulheres querem os lábios mais definidos, maiores e com uma simples aplicação de ácido hialurônico é possível obter resultado”, afirma. O ácido hialurônico tem a função de sustentar, hidratar e manter a elasticidade da pele e atualmente é o principal preenchedor utilizado pelos médicos, segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Porém, Flávia alerta para os riscos de se exagerar nos procedimentos e os cuidados necessários. “A harmonização facial deve ser feita apenas por médicos especializados. Nosso rosto possui vários pontos que podem ficar paralisados se a aplicação foi feita de maneira incorreta. Também há necessidade do acompanhamento correto após o procedimento”, ressalta.


Imprimir