Instrutoria na Micropigmentação e metodologia aplicada.

Instrutoria na Micropigmentação e metodologia aplicada.

O trabalho de um artista micropigmentador vem de uma esfera solitária, permanecem ali profissional e a tela viva dentro do cosultório estético, onde cliente e operador entram na sintonia do equilíbrio de dar e receber. Existe todo um clima de concentração durante a sessão, o trabalho acontece com base em um ambiente de meditação.

Alguns artistas no decorrer da profissão, sentem o real desejo de ensinar e passar suas habilidades técnicas da micro para mais e mais pessoas e é interessante lembrar dessa questão sobre relacionamento tranquilo e solitário com cada cliente, para que o profissional que escolher dar aulas possa estar consciente da diferença do ambiente do consultório estético para o de uma sala de aula cheia de alunos.

Mesmo tendo disposição de ensinar para vários, o docente em micro deve saber das suas limitações em relação quantidade de alunos para coordenar em sala de aula, incluindo também a presença de modelos na pratica assistida, o docente em micro terá que administrar pessoas para poder ter segurança em passar a técnica.

Trata-se de um trabalho belíssimo dos instrutores e que demanda necessidades diversas no sentido de aprimoramento técnico, atualizações e metodologia de ensino.
Com base nisso, as aptidões artísticas não bastam para passar a técnica, é preciso utilizar um método para fragmentar as bases e disponibilizar um aprendizado ao alcance de cada aluno e dentro das relações interpessoais e intrapessoais que é irão facilitar essa dinâmica e trazer à tona a formação de bons profissionais. 

No meu trabalho com a metodologia Magma para micropigmentadores, foram feitas mais de 20 atualizações e são mais de 2 décadas fazendo a revisão anual do método. É muito  importante  a atualização da didática da micro, percebo que a cada ano aparecem novas dinâmicas e que isso é muito importante para o sucesso do aprendizado de excelência. Os alunos estão sempre ávidos por aprender e cabe ao instrutor oferecer seu melhor, passar a técnica é apenas uma parte do que compõe ensinar a profissão, estou falando em formação de líderes para o mercado de trabalho.

É disso que eu falo sobre a escolha de uma escola para aprender Micropigmentação que nunca é uma tarefa fácil. É preciso olhar para os valores éticos, a relação custo x benefício oferecida, localidade, horários, transporte, estrutura, objetivos da escola, entre outros, mas, e fundamentalmente o corpo docente utilizando um método de aplicação da arte e técnica de embelezar, corrigir e realçar a beleza.

O método que se aplica merece muito destaque, pois fará toda a diferença no seu curso, onde potenciais instrutores replicam uma metodologia de ensino com autenticidade e respeito, levando o legado da profissão micropigmentação.

O psiquiatra americano William Glasser (1925-2013) aplicou sua teoria da escolha para a educação. De acordo com esta teoria, o professor é um guia para o aluno e não um chefe.

Glasser explica que não se deve trabalhar apenas com memorização, porque a maioria dos alunos simplesmente esquecem os conceitos após a aula. Em vez disso, o psiquiatra sugere que os alunos aprendem efetivamente com você, fazendo .

Além disso, Glasser também explica o grau de aprendizagem de acordo com a técnica utilizada, ele mostra que:
Segundo a teoria nós aprendemos:
10% quando lemos;
20% quando ouvimos;
30% quando observamos;
50% quando vemos e ouvimos;
70% quando discutimos com outros;
80% quando fazemos;
95% quando ensinamos aos outros.

Seguramente quem aprende bem ensina bem, é preciso se dispor para aprender e também para ensinar, diante da decisão de se dar aulas o mais seguro é utilizar uma metodologia já comprovada e que ofereça respaldo na aplicação do método.

Imprimir